DÊ SUA OPINIÃO - VOCÊ TEM FALADO DE JESUS ÀS PESSOAS?

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

ESTUDO: CONHECENDO A BIBLIA

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS

CORDENADORIA DO DISCIPULADO




Sumário       
                                                                      
I- Palavra do Diretor do Departamento
II- Introdução
III- Qual a origem do vocábulo Bíblia
IV- Nomes e títulos dado a Bíblia
V - A origem da Bíblia
VI - As línguas de escrita da Bíblia
VII - Materiais de escrita da Bíblia
VIII - As seções da Bíblia
IX - Livros apócrifos
X - Princípios para a canonicidade de um livro
XI - O cânon da Bíblia
XII - A mensagem da Bíblia
XIII - Alguns fatos interessantes da Bíblia
XIV - Abreviaturas
XV- Como usar a Bíblia no dia-a-dia
XVI- Considerações finais
XVII - Bibliografia 




Janilson Conrado de Morais
 Diretor do departamento de Discipulado

I- BÍBLIOLOGIA. Este é um assunto de grande importância, que nos leva a conhecer e entender as escrituras sagradas, nestes últimos dias satanás tem feito de tudo para distorcer, e  enganar, ele usar até mesmo os meios de comunicação como uma das maiores ferramentas para negar a realidade que nela está escrita e fará de tudo para apagar do coração de muitos crentes a palavra de Deus. Reforçando este comentário no Salmo 119.11 o Salmista diz para Deus “escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti. “Aproveite”, não perca tempo se esforce e se dedique a palavra de Deus.





 II- INTRODUÇÃO:

A Bíblia tem superado, a mais de 20 séculos, inúmeras investidas, de certos tiranos e opositores. Ela tem sido o livro mais lido no mundo, a doutrina bíblica reside no fato de precisarmos ser auxiliados para uma boa percepção dos acontecimentos bíblicos. Embora Deus seja o autor da Bíblia, ele usou homens santos, e inspirado-os a escreverem o que os homens precisavam saber. A Bíblia tem resposta para tudo o que o homem precisa saber sobre Deus, anjos, a origem e o destino do homem; a origem do pecado e suas conseqüências; a realidade da salvação; a divindade do Espírito Santo e sua atuação; a existência da igreja etc. é dever do verdadeiro cristão, não só SABER, mas, ENTENDER e mais ainda, CONHECER a doutrina das escrituras.


III- QUAL A ORIGEM DO VOCÁBULO “BIBLIA”

Em parte alguma da Bíblia encontraremos o nome “Bíblia”. É um termo de origem grega, que é derivado do nome que os gregos davam á folha de papiro quando preparada para a escritura. O nome dado era “Bíblos”; Um rolo já preparado era denominado “bíblion”; quando juntavam vários “bíblions, então chamavam de “Bíblia”. Portanto literalmente a palavra Bíblia quer dizer “coleção de livros pequenos”.


IV- NOMES E TÍTULOS DADO A BÍBLIA

1.  No Antigo Testamento:

Ø O LIVRO” – Um dos títulos mais singelos e objetivos. A partir de Moisés, a vida religiosa dos judeus foi organizada. Toda a vida do povo foi orientada por leis e ordenanças escrita num “livro” para memória e obediência, (Êx 17.14; Dt 28.58; 29.20,27). Ás vezes aparece como o “livro do concerto” (Êx 24.7); o “livro da lei” (Dt 28.61; 29.21; Is 1.8; 23.6; 1 Rs 22.8); o “Rolo do livro” (Sl 40.7); “as palavras do livro” (Is 29.18); “livro do Senhor” (Is 34.16); “Os livros” (Dn 9.2).

Ø ESCRITURAS- O termo “escrituras” não é meramente um titulo dado a bíblia, mas refere-se ”ao que está escrito”, ao que está na bíblia (Êx 32.16; Dn 10.21).

Ø PALAVRA DO SENHOR ou PALAVRA DE DEUS- 1são títulos bem conhecidos e aparecem em varias partes da bíblia, sempre fererindo-se ao que Deus falou (Jr 2.31; 22.29).

Ø A LEI DO SENHOR ou A LEI-designação feita especialmente para referi-se á “LEI” dada ao povo de Israel através de Moisés (Js 1.7,8; 24.25,26; Sl 1.1-3; 1 Rs 2.3; 2 Cr 34.14-21; Ne 8.3,4,18).

2.  No Novo Testamento:

Ø A LEI E OS PROFETAS- esse titulo é citado no Novo Testamento em referência ao Antigo Testamento (Mt 7.12; 5.17-19; Lc24. 44; Jo 12.34).


V- A ORIGEM DA BIBLIA

Antes de haver a revelação divina escrita, Deus revela-se verbalmente. Desde Adão até Moisés, passaram-se 2.500 anos aproximadamente. A revelação verbal de Deus foi transmitida inicialmente por Adão, que viveu 930 anos, e este passou as gerações seguintes até chegar a Moisés. Não há evidência de que houvesse alguma revelação escrita antes de Moisés, por isto Deus lhe ordenou: “Escreve isto para memorial num livro” (Êx 17.14).

Escritores da Bíblia. A bíblia foi escrita num período de 1.600 anos aproximadamente por 40 autores distintos. Esses não formaram uma comissão especial para produzirem juntos uma bíblia. Pelo contrario a maioria dos autores nem ao menos se conheceu e nem planejou formar uma coleção de 66 livros, que mais tarde foi denominada bíblia. Um fato interessante acerca dos autores da bíblia é a diferença de cultura entre eles. Moisés, Lucas e Paulo eram homens cultos. Porem outros foram reis, pastores de ovelhas, fazendeiros, médicos, copeiros. Soldados, lavradores e viveram em épocas distantes uns dos outros, em ambientes variados. Porem há algo que se destaca em tudo isso. Deus fez uso desses homens distintos entre si, para entregarem ao mundo uma só revelação.


VI- AS LIGUAS DE ESCRITA DA BIBLIA

A bíblia, por ser um livro de procedência israelita, foi escrita nas línguas faladas pelo povo israelita. Devido á sua história acidentada pelas guerras, exílios e submissões aos domínios de outros povos, o povo judeu, sem perder suas características essenciais, sofreu enormes mudanças no seu sistema de vida política e religiosa. As línguas originais da bíblia são o hebraico e o grego, com algumas partes, no Antigo Testamento, escritas em aramaico.


VII- MATERIAIS DE ESCRITA DA BIBLIA

Principais materiais de escrita

Ø  PAPIRO - É o nome de uma planta aquática própria das margens alagadiças do rio Nilo, na África, especialmente, no Egito. Os antigos egípcios utilizavam o material dessa planta, entre outras coisas, para a fabricação de uma espécie de papel.

Ø  PERGAMINHO - esse material foi usado pelos egípcios e pelos babilônicos. Era feito de peles curtidas e amaciadas de cabras, ovelhas e de bezerros. Os pergaminhos eram preparados de tal modo que podiam resistir muito mais que o papiro. Paulo usou pergaminhos para escrever suas cartas (2 Tm 4.13).

Ø  A TINTA – era feita de carvão vegetal, goma e água.


VIII- AS SEÇÕES DA BÍBLIA

Os dois Testamentos. Duas partes formam a estrutura da Bíblia: O Antigo Testamento com 39 livros e o Novo Testamento com 27 livros. Há um entrelaçamento entre os Testamentos que os tornam inseparáveis. Há mais de mil citações do Antigo Testamento no Novo Testamento.

a.     O Antigo Testamento. É dividido Em cinco grupos, Vejamos:

Livros do Antigo Testamento

1º - A Lei (Torá ou Pentateuco) - 5 livros
Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio.


2º - Livros Históricos - 12 livros
Josué, Juízes, Rute, I Samuel, II Samuel, I Reis, II Reis,
 I Crônicas, II Crônicas, Esdras, Neemias, Ester.

3º - Livros Poéticos - 5 livros
 Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares de Salomão.

       Profetas
4º - Maiores – 5 livros
 Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel, Daniel.

5º - Menores – 12 livros
 Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

a.     O Novo Testamento. É dividido Em quatro grupos de assuntos, vejamos:

Livros do Novo Testamento

1º Evangelhos - 4 livros
Mateus, Marcos, Lucas, João.

2º Livro Histórico – 1 livro
Atos dos Apóstolos

3º Cartas (Epístolas) – 21 livros
Romanos, I Coríntios, II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, I Tessalonicenses, II Tessalonicenses, I Timóteo, II Timóteo, Tito, Filemon, Hebreus, Tiago, I Pedro, II Pedro, I João, II João, III João, Judas.

4º Livro Profético – 1 livro
Apocalipse (Revelação)


IX- LIVROS APÓCRIFOS

A palavra “apócrifo” significa literalmente “escondido”, “oculto” isto em referência a livros que tratavam de coisas secretas, misteriosas, ocultas. No sentido religioso, o termo significa “não genuíno”, desde sua copilação por Jerônimo. Os apócrifos foram escritos entre Malaquias e Mateus, ou seja, numa época em que cessara por completo a revelação divina.

Os 7 livros apócrifos constantes das bíblias de edição católica – romana são: 1 Esdras, Tobias, Judite, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico, Baruque, 1 Macabeu e 2 Macabeu.

A igreja romana aprovou os apócrifos em 18 de abril de 1546, para combater o movimento da reforma protestante. O cardeal Pallavacini, em sua “história eclesiástica”, declara em pleno concílio, 40 bispos, dos 49 presentes, travavam uma batalha corporal, agarrados ás barbas e batinas uns dos outros... Foi nesse ambiente “espiritual” que os apócrifos foram aprovados! A primeira edição da Bíblia Romana com os apócrifos deu-se em 1592, com autorização do papa Clemente VIII. Há informação de que existem uns 50 “evangelhos” alem de muitos “atos” e “epístolas” a grande parte desses escritos fez a igreja primitiva ver quanto era importante distinguir entre o falso e o verdadeiro.


X- PRINCIPIOS PARA O RECONHECIMENTO DA CANONIDADE DE UM LIVRO

Como alguém poderia reconhecer um livro inspirado só por vê-lo? Era árdua a tarefa da comunidade cristã, chegara uma conclusão sobre quais livros seriam realmente de Deus, quando, inúmeros livros circulavam entre eles. Por representarem ameaça constante, fez-se necessário que o povo de Deus revisse cuidadosamente sua coleção de livros sagrados. Pelo menos cinco critérios básicos foram aplicados.

a.     O livro é autorizado? - afirma vir da parte de Deus?
b.     O livro é profético? – foi escrito por um servo de Deus?
c.     O livro é digno de confiança? – fala da verdade a cerca de Deus, do homem e etc.
d.     O livro é dinâmico? – possui o poder de Deus que transforma vidas?
e.  O livro é aceito pelo povo de Deus para o qual foi originalmente escrito?- é reconhecido como proveniente de Deus.  


XI- O CÂNON DA BÍBLIA

Quando dizemos Cânon ou escrituras canônicas, queremos dizer ou falar da coleção completa dos livros divinamente inspirados, que constituem a Bíblia Sagrada. Cânon é a palavra grega e significa, literalmente, “vara reta de medir”, encontramos o termo no original, em Ezequiel 40.5. No sentido religioso, é aquilo que serve de norma, regra. No Novo Testamento, com este sentido, encontramos a palavra Cânon, em vários lugares. Por exemplo: Gl6. 16; 2 Co 10.13; 1 Co 10.15; Fl 3.16. 


XII- A MENSAGEN DA BÍBLIA

1.     A presenta Deus como criador e Senhor de tudo. (Gn 1.1; Sl 95.6; 104.30; Is40. 26; Ef 3.9; Ap 10.6). De fato, a Bíblia é a real revelação de Deus. É o testemunho do que fez, faz e fará, e ao mesmo tempo, é a revelação da verdade de que toda criação está sujeita a ele e depende dele. Ele dirige todas as coisas com o fim de que tudo seja para sua glória. 

2.     Apresenta o problema do pecado. A Bíblia é a única fonte que revela a verdade sobre o pecado e seu caráter maligno. A Bíblia não alivia, nem filosofa sobre o pecado, mas o trata com clareza (Rm 1.18-23; 3.23; 5.12).

3. Apresenta um plano de salvação. As religiões tentam salvar o homem pelos seus próprios méritos; porém a salvação só é possível a traves da solução apresentada pela Bíblia. (At 4.12; Lc 10.19; 1 Jo 2.2).


XIII- ALGUNS FATOS INTERESANTES DA BÍ­BLIA

A Bíblia foi escrita originalmente em forma de rolos, sendo cada livro um rolo. Com a invenção do papel no século II, pelos chineses e a do prelo de tipos de móveis, em 1450, pelo alemão Gutemberg, foi possível ter em mãos todos os livros da Bíblia, o que antes era impossível, no tempo dos apóstolos, um crente conduzir os livro da Bíblia em sua totalidade. Os rolos chegavam a medir uns 10 metros de extensão, por 20 a 25 cm de largura. Hoje, por questões tradicionais, os rolos sagrados das escrituras hebraicas continuam em uso nas sinagogas judaicas.

As Bíblia mais antigas não eram divididas em capítulos e verciculos. O intuito das divisões foi pa facilitar a tarefa de citar as escrituras. No ano de 1227, um professor da Univercidade de paris e mais tarde arcebispo da Cantuária, Stephen (Estêvão) dividiu a Bíblia em capítuloss. Só em 1551, através de Robert, impressor parisiense, foi que a Bíblia teve a divisão em verciculos. Robert publicou a primeira bíblia (Vulgata Latina).

O AT tem 929 capítulos e 23.214 versículos. O NT tem 260 capítulos e 7.959 versículos. A Bíblia toda tem 1.189 capítulos e 31.173 versículos. O nú­mero de palavras e letras depende do idioma e da versão. O maior capítulo é o Salmo 119, e o menor o Salmo 117. O maior versículo está em Ester 8.9; o menor, em Êxodo 20.30. (Isso, nas versões portuguesas e com exceção da cha­mada "Tradução Brasileira", onde o menor é Lucas 20.30). Em certas línguas, o menor é João 11.35. Os livros de Ester e Cantares não contêm a palavra Deus, porém a presença de Deus é evidente nos fatos neles desenrolados, mormente em Ester. Há na Bíblia 8.000 menções de Deus sob vários nomes divinos, e 177 menções do Diabo, sob seus vários no­mes.
A vinda do Senhor é referida direta e indiretamente 1.845 vezes, sendo 1.527 no AT e 318 no NT. Jesus é o tema central da Bíblia. Ele mesmo no-lo de­clara em Lucas 24.44 e João 5.39. (Ler também Atos 3.18; 10.43; Apocalipse 22.16). Se olharmos de perto, veremos que, em tipos, figuras, símbolos e profecias, Ele ocupa o lu­gar central das Escrituras, isto além da sua manifestação como está registrada em todo o Novo Testamento.


Há outros casos assim na estrutura da Bíblia. Isso ja­mais poderia ser obra do acaso. A frase "não temas" ocorre 365 vezes em toda a Bíblia, o que dá uma para cada dia do ano! O capítulo 19 de 2 Reis é idêntico ao 37 de Isaías. O AT encerra citando a palavra "maldição"; o NT encerra citando a expressão: "a graça do Nosso Senhor Jesus Cris­to." A Bíblia foi o primeiro livro impresso no mundo após a invenção do prelo; isso deu-se em 1452, em Mogúncia, Ale­manha. O nome de Jesus consta do primeiro e do último versículos do NT. As traduções da Bíblia (toda ou em parte) até 1984, atingiram a 1796 línguas e dialetos. Restam ainda cerca de 1.000 línguas em que ela precisa ser traduzida. As Biblia hoje existem em diversas versões,as versões são resultante de atualizações de uma tradução. A tradução significa passar tudo o que foi escrito de um idioma para outro, tradução principal utilizada no Brasil, e a de João Ferreira de almeida.


XIV- ABREVIATURAS

      Em índices e citações bíblicas, é comum o uso de abreviaturas para se referir aos Textos. Um dos formatos convencionados segue o padrão abaixo:

·      O ponto ( . ) separam o capítulo dos versos;
·      O hífen ( - ) indica uma faixa contínua de versos;
·      A vírgula ( , ) indica uma seqüência não contínua de versos;
·      O ponto-e-vírgula ( ; ) inicia um novo capítulo do mesmo livro ou não, se seguido de nova abreviação.

Gn 3.2-5 = Gênesis, capítulo 3, versículos 2 a 5.
Lv 1.3,6; 2:2-4 = Levítico, capítulo 1, versículos 3 e 6, capítulo 2, versículos 2 a 4.
Mt 1-12; Ap 2:1-7 = Mateus, capítulos 1 a 12, Apocalipse, capítulo 2, versículos 1 a 7.

Antigo Testamento
Gênesis
Gn
Eclesiastes
Ec
Êxodo
Ex
Cantares de Salomão
Ct
Levítico
Lv
Isaías
Is
Números
Nm
Jeremias
Jr
Deuteronômio
Dt
Lamentações
Lm
Josué
Js
Ezequiel
Ez
Juízes
Jz
Daniel           
Dn
Rute
Rt
Oséias
Os
I Samuel
I Sm
Joel
Jl
II Samuel
II Sm
Amós
Am
I Reis
I Rs
Obadias
Ob
II Reis
II Rs
Jonas
Jn
I Crônicas
I Cr
Miquéias
Mq
II Crônicas
II Cr
Naum
Na
Esdras
Ed
Habacuque
Hc
Neemias
Ne
Sofonias
Sf
Ester
Et
Ageu
Ag
Zacarias
Zc
Salmos
Sl
Malaquias
Ml
Provérbios
Pv


Novo Testamento
Mateus
Mt
I Timóteo
I Tm
Marcos
Mc
II Timóteo
II Tm
Lucas
Lc
Tito
Tt
João
Jo
Filemon
Fm
Atos dos Apóstolos
At
Hebreus
Hb
Romanos
Rm
Tiago
Tg
I Coríntios
I Co
I Pedro
I Pe
II Coríntios
II Co
II Pedro
II Pe
Gálatas
Gl
I João
I Jo
Efésios
Ef
II João
II Jo
Filipenses
Fp
III João
III Jo
Colossenses
Cl
Judas
Jd
I Tessalonicenses
I Ts
Apocalipse (Revelação)
Ap
II Tessalonicenses
II Ts




XV- COMO USAR A BÍBLIA NO DIA-A-DIA

1.     Leia a Bíblia diariamente. (Dt 17.19). Esta regra é excelente. Presume-se que 90% dos crentes não lêem a Bíblia diariamente: não é de admirar haver tantos crentes frios nas igrejas. Não somente frios mas anãos, raquíticos, mundanos, carnais, indiferentes. Sem crescimento espiri­tual, Deus não nos pode revelar suas verdades profundas (Mc 4.33; Jo 16.12; Hb 5.12). É de admirar haver pessoas na igreja que acham tempo para ler, ouvir e ver tudo, me­nos a Palavra de Deus. Motivo: Comem tanto outras coisas que perdem o apetite pelas coisas de Deus! É justo ler boas coisas, mas, é imprescindível tomar mais tempo com as Escrituras. Não basta assistir aos cultos, ouvir sermões e teste­munhos, assistir a estudos bíblicos, ler boas obras de lite­ratura cristã: é preciso a leitura bíblica individual, pes­soal. Há crentes que só comem espiritualmente quando lhes dão comida na boca: é a colher do pastor, do professor da Escola Dominical, etc. Se ninguém lhes der comida eles morrerão.

Você não deve usar a Bíblia só quando vai aos cultos, não de vemos limitar o uso dela somente a estes momentos, dessa forma o seu crescimento acontecerá lentamente o desejo de Deus é que você seja um adulto espiritual não uma criança 1 Co 13.11; 14.20 e Ef 4.5. Manuseie a Bíblia todos os dias, não basta tê-la uma vez, ou só aqueles textos soltos mais conhecidos como Sl 23 e 91, Jo 3.16 e 1 Co 13. A Bíblia não se resume neles.

2.     A memorização de versículos. O segundo passo que você deve dar para crescer espiritualmente é memorizar os textos bíblicos. Quando você memoriza os textos da bíblia, está guardando, escondendo e fazendo habitar em si a palavra de Deus. O que foi escrito na Bíblia, definitivamente, não foi para ficar só registrado em um livro. A leitura apenas lhe dar condições de se lembrar 15% do que leu, depois de 24 horas. Mas a memorização lhe permite lembrar 100%.

3.     O estudo. Outro passo que precisa dar para crescer espiritualmente é estudar a palavra de Deus. Estudar é mais do que ler cuidadosamente. Ler é mais rápido que estudar, mas estudar ajuda a pensar e a lembrar.

Devem acompanhar você no estudo da Bíblia os seguintes materiais:

a.     A Bíblia. Se possível use varias versões existentes em português, para consulta comparativa.

b.     Uma concordância Bíblica. Ajuda a localizar palavras, livro por livro da Bíblia.

c.      Chave Bíblica. Traz esboços dos livros da Bíblia e também introdução, autores, história e datas.

d.     Dicionário Bíblico. Para explicação de palavras e assuntos bíblicos.

e.     Dicionário de português. Para saber das palavras pouco conhecidas por você

f.       Manual de temas Bíblicos. Traz assuntos Para estudos mais aprofundados.

g.     Um caderno. Para anotações das observações, correlações, interpretações e aplicações do seu estudo.

4.     O momento de meditação. O ultimo passo lhe ajudará a crescer espiritualmente, é ter um momento de meditação na palavra de Deus. Leia Sl 1.1-3e medite. É preciso que você se dedique á meditação diariamente. Escolha um lugar especial a sós com Deu.


XVI- CONCLUSÃO

Cristo é a chave que revela o significado das escrituras( Lc 24.25-27; Jo 5.39,40; At 17.2,3; 2 Tm3.15).A revelação especial em Cristo e nas escritura é consistente, coerente e conclusiva. Encontramos Cristo atráves das escrituras, e estas nos revelam a vida eterna em Cristo. “Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (Jo 20.31).


XVII- BIBLIOGRAFIA

Ø Revista DISCIPULADO 1 - MESTRE publicada pela CPAD (casa publicadora das assembléias de Deus)

Ø Apostilha BIBLIOLOGIA do curso de teologia aplicado pela ESTEADEB (Escola Teológica da Assembléia de Deus no Brasil) em Guamaré-RN

Ø Lição nº 1 A BÍBLIA SUA ESTRUTURA E MENSAGEM escrita pelo Ev. Osório Jacome

Ø A Bíblia através dos Séculos - Antonio Gilberto 15a Edição 2004

ØImagem da biblía: lyvrearbitrio.blogspot.com


2 comentários:

  1. parabens! pela junçao do discipulado1, apostila, e biblia.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse aprendizado que tive.
    me ensinou bastante como devo estudar a Bíblia. Que Deus abençoe!

    ResponderExcluir